Alvorada FM

(64) 3634-1588
Anunciante 05

Policial

Força-tarefa para prender Lázaro Barbosa entra no 17º dia com movimento intenso após prisão de fazendeiro e caseiro

Detidos são suspeitos de ajudar o procurado a se esconder em Cocalzinho de Goiás; cerco onde eles foram pegos já dura mais de 17h.

Força-tarefa para prender Lázaro Barbosa entra no 17º dia com movimento intenso após prisão de fazendeiro e caseiro
Um dos presos suspeito de ajudar Lázaro Barbosa na fuga em Goiás — Foto: Reprodução/TV Globo
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa entra no 17º dia consecutivo de trabalho nesta sexta-feira (25) após duas pessoas serem presas suspeitas de ajudar o criminoso a fugir. A região onde as prisões ocorreram tem cerco montado por policiais há mais de 17h.

A identidade deles não foi divulgada, mas informações de membros da operação indicam que são um fazendeiro e um caseiro. Imagens mostram quando um dos detidos é levado para a Delegacia de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF.

Lázaro é suspeito de uma chacina em Ceilândia (DF) e outros sete crimes, segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) - veja aqui sobre crimes e fuga do investigado. A operação que procura pelo criminoso tem mais de 270 policiais empenhados e conta com ajuda de helicópteros e cães farejadores.

O secretário de Segurança Pública, Rodney Miranda, voltou para a região cercada às 9h18. Ele estava em um carro descaracterizado e acompanhado de outras duas viaturas. Helicópteros também sobrevoam a região nesta manhã.

Nesta área de chácaras só puderam entrar algumas pessoas que comprovaram morar na região e uma fila de carros foi formada durante a tarde de quinta-feira por quem queria ir para casa. Nesta manhã o impedimento continua e chacareiros contam que precisam passar para alimentar os animais.

Segundo informações de participantes da operação repassadas à equipe da TV Anhanguera, os presos e policiais que participaram das prisões devem prestar depoimento aos delegados envolvidos na força-tarefa.

O advogado Ilvan Barbosa se identificou às equipes de reportagem na porta da delegacia de Águas Lindas de Goiás como defensor dos dois presos e disse que seus clientes não confessaram ter ajudado Lázaro.

De acordo com ele, o fazendeiro, que tem 74 anos, é portador de câncer, está indo à propriedade alimentar os animais, mas não viu o procurado em momento algum. Já o caseiro, também segundo o advogado, viu uma pessoa na região que pode ter sido Lázaro.

Com os presos, a polícia apreendeu duas armas de fogo e mais de 50 munições. De acordo com as informações da força-tarefa, uma dessas armas foi roubada em um dos crimes de que Lázaro é suspeito. Os homens foram detidos em uma região de chácaras de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás.

Secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda disse que as equipes estão cada vez mais perto de Lázaro.

 

“Ele andava sempre pelos canais. Dificultando nosso trabalho. Temos um indicativo forte de onde ele está. [...] Nós fechamos o perímetro e estamos cercando cada vez mais”, contou.
A SSP informou que acredita que há uma “rede criminosa” que apoia Lázaro, mas ressaltou que a força-tarefa está trabalhando com o objetivo de prendê-los.

O secretário revelou que os detidos já tentaram retirar o fugitivo do perímetro onde ocorrem as buscas, mas que o cerco realizado na tarde de quinta-feira ajudou a impedir.

“Quem facilita a vida de foragido comete crime. Nós temos indício de que há outras pessoas ajudando e nós vamos chegar nelas. A gente tem alcançado o nosso grande objetivo que é não o deixar cometer mais crimes. E, a cada dia, nós estamos mais próximos dele e dessa rede criminosa que apoia absurdamente esse sujeito”, contou.

Cerco

 

Os policiais que fazem a barreira na estrada de chão informaram que ninguém além das equipes da operação pode entrar na área. Moradores que estavam na área protegida e conseguiram sair relataram que a distância entre o ponto de bloqueio na estrada e o local onde acontecem as buscas é de cerca de 5 km.

O caseiro Joaquim Santana, de 58 anos, disse que espera na fila desde 6h para poder alimentar os animais da chácara em que trabalha.

“Ninguém passa. Não sabe nem que hora vai poder passar. Os bichos todos com fome. Tem que acabar isso logo”, pediu.

Um morador da região do cerco que preferiu não se identificar contou que ficou esperando para entrar na chacra até as 22h de quinta-feira (23), não conseguiu passar e teve que dormir na casa de um amigo.

 

“Fui dormir fora. Voltei agora 6h, mas não pude entrar. Não tem nem previsão”, contou.

 

O caminhoneiro Samuel Silva Santos, de 40 anos, chegou ao local às 8h30 para buscar gado em uma fazenda, mas também foi impedido de entrar.

“A carga está fechada lá esperando. Vou esperar um pouquinho, qualquer coisa volto para trás”, disse.

FONTE/CRÉDITOS: G1 Globo

Veja também

Anunciante 06

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )